Predict counterproductive work behaviour

Será que um investimento financeiro amoral por parte de um banqueiro de investimento ou a venda ilegal de um CD com dados sigilosos por um programador, podem ter um denominador comum? 

Ser capaz de prever  comportamentos contraproducentes em contexto profissional é de enorme relevância prática, porque poderá evitar custos avultados.

O que faz do squares tão especial?
Conseguir prever comportamentos contraproducentes em contexto profissional é uma nova forma de acrescentar valor adicional às avaliações. Absentismo, fraude, ou condutas extremadas, podem originar muitas consequências negativas. O squares é um novo questionário online que não só considera a pessoa, mas também o contexto de trabalho envolvente. Os ítens descrevem comportamentos em vez de traços de personalidade, o que permite a previsão de comportamentos contraproducentes sem estigmatizar aqueles que obtêm valores baixos no questionário.

Clientes que usam o Squares da cut-e

Quais podem ser as finalidades do squares?

Deixamos-lhe alguns exemplos nos quais o squares poderá trazer valor acrescentado:

  • Screening Online: Ao utilizar o squares poderá reduzir significativamente a probabilidade de comportamentos contraproducentes nos sujeitos avaliados. O squares acrescenta valor em profissões onde a segurança e a gestão de risco desempenham um papel importante (por exemplo, staff de segurança, policias ou profissionais do sector financeiro).
  • Desenvolvimento on-the-job: a produtividade de uma equipa pode ser significativamente aumentada com acções formativas desenhadas com base nos resultados do squares.
  • Estratégias de cidadania corporativa: o squares pode ser utilizado para identificar os aspectos críticos de uma equipa, departamento ou empresa, sendo o ponto de partida ideal para processos de desenvolvimento corporativo.
  • Prever o tempo de permanência: o squares dá uma boa perspectiva da probabilidade de permanência do empregado na organização, possibilitando deste modo que as organizações reduzam os custos de turnover e de recrutamentos indesejados.
  • Confiabilidade: O relatório de confiabilidade disponível a partir do squares, revela quão confiável, condescendente e cauteloso alguém é. Poderá ser utilizado em selecção, ou de um modo mais regular ao ser aplicado previamente ao início de um turno de trabalho, com o fim de promover a segurança de pessoas e bens.

O teste de integridade desenvolvido pela cut-e ajuda as organizações a identificarem funcionários problemáticos

As organizações que seleccionam colaboradores apenas com base na avaliação de características ou de indicadores de sucesso, descuram informações valiosas e ricas.

O Dr. Achim Preuss, fundador e diretor do Grupo cut-e, explica: "Faz sentido procurar indicadores de sucesso, pois são factores de produtividade, benéficos para a organização. Porém, esta é apenas uma dimensão da questão. Na realidade, é igualmente importante indagar sobre comportamentos que podem não ser vantajosos ou construtivos. Descobrimos que os empregadores frequentemente ignoram o aspecto mais sombrio de características positivas e não olham para os aspectos positivos de atributos perspectivados como mais negativos. Este é um problema comum, que nos obriga a entender que o nosso comportamento não é unicamente motivado por factores intrínsecos, sendo também influenciado pela nossa situação.”

Para ajudar a resolver esta questão, a cut-e criou uma nova ferramenta de Assessment, o Squares, que mede justamente essas características difíceis de avaliar e que pode ser realizado em conjunto com avaliações online mais convencionais, isto é, com testes de aptidão e de personalidade.

Como podem os HR audar a evitar escândalos empresariais?

Neste artigo, o Dr. Achim Preuss analisa o papel que os RH podem assumir - enquanto guardiões éticos - para ajudar a evitar escândalos empresariais causados ​​por comportamentos indesejáveis. Além disso, o texto apresenta um conjunto de sugestões para pôr em prática.

Dr. Achim Preuss: squares e integridade

Para sabermos mais sobre o squares - o teste de integridade da cut-e - entrevistámos o co-fundador da cut-e, Dr. Achim Preuss. O nosso entrevistado falou-nos acerca do conceito de integridade, do processo através do qual se pode avaliá-la e em que contextos faz sentido fazê-lo, bem como sobre a adequação revelada pelo squares para esse efeito. 

Que valor podem os testes de integridade trazer ao recrutamento?

Os testes de integridade podem ser implementados na fase de recrutamento, a par de ferramentas de avaliação online mais convencionais, como os testes de aptidão e de personalidade. A avaliação de integridade permite identificar e perceber se os candidatos possuem princípios morais sólidos, se a sua conduta é norteada pela defesa de padrões éticos e/ou quais as suas vulnerabilidades; isto é, até que ponto são passíveis de apresentar comportamentos contraproducentes.

O teste squares da cut-e é num questionário de comportamento situacional realizado on-line que incide sobre: a consciência ética de um candidato e seu grau de controlo de impulsos através de seis "escalas". Válido para todas as posições e funções, o squares pontua os candidatos em função dos seguintes valores: empatia, honestidade, reflexividade, disciplina, conscienciosidade e cautela.

Benchmark: como é que os testes de integridade são usados na Academia de Polícia Norueguesa?

Espen Skorstad, director-geral da cut-e Noruega, explica: "A Academia de Polícia Norueguesa tradicionalmente usava testes de aptidão e de personalidade da cut-e para identificar, avaliar e recrutar novos policias. Cerca de 1.600 candidatos faziam estes testes todos os anos. No entanto, desde 2014, a Academia de Polícia passou a recorrer também ao squares, para apreciar a confiabilidade dos candidatos, sendo que os resultados obtidos são utilizados pelos recrutadores durante o processo de entrevista. Actualmente, os dados estão a ser correlacionados e avaliados, com o propósito de criar um ‘score de cut-off com base na confiabilidade’, o que acrescentará valor a um processo de avaliação que é já bastante robusto.”

Webinar 'Hip to be square'

Apresentando o squares, o teste de integridade da cut-e, Neste webinar apresentámos a pesquisa que serviu de apoio ao desenvolvimento do squares, e mostrou a discussão em como o contexto situacional é importante e ainda que utilidade tem um teste de integridade.

Benchmark: Como é o teste de integridade é usado pela Coop Norge?

Espen Skorstad, Director-Geral da cut-e Noruega: “Nós temos trabalhado com a Coop Norge. Cadeia de supermecados que tem recorrido aos nossos testes de aptidão e de personalidade em processos de recrutamento. E actualmente estamos a introduzir o teste squares no processo de recrutamento dos trabalhadores do armazém. Isto porque nos armazéns da Coop Norge é usada maquinaria leve e pesada para corresponder aos desafios logísticos de um negócio em que os produtos são perecíveis. Neste sentido, o squares permite gerar um ‘relatório de segurança’ que revela se um candidato é cuidadoso e prudente. O seu 'safety score' é um indicador útil, ajudando a Coop Norge a tomar boas decisões na selecção dos seus RH.”

Pergunte ao especialista: o teste de integridade é adequado para todas as funções?

Ao longo dos anos, fornecedores de Assessment têm tentado criar testes psicométricos, visando ajudar a identificar confiabilidade. Porém, alguns desses testes além de serem eticamente discutíveis, não têm em conta dois factos importantes: o comportamento depende das circunstâncias e os indivíduos podem modificar sua capacidade de resistir à tentação.
 
O nosso teste squares é um questionário de comportamento situacional online que avalia com precisão a integridade, confiabilidade e credibilidade, bem como o grau de vulnerabilidade de um candidato a comportamento contraproducente. O squares revela a consciência ética de um candidato e o seu grau de controlo de impulsos, tendo conta seis critérios ou ‘escalas’. Por outras palavras, é atribuída pontuação ao candidato em termos de empatia, honestidade, reflexividade, disciplina, conscienciosidade e cautela. O teste é válido para todas as funções, mas as seis escalas poderão ter de ser ponderadas de forma diferente, tendo em conta a função. Por exemplo, para uma função que requeira criatividade pode ser necessário recrutar um indivíduo preparado para inovar e menos convencional em termos de pensamento. Indivíduo que não teria uma pontuação muito elevada na escala ‘cautela’.

Tipicamente o squares é usado na fase de recrutamento, juntamente com testes online de aptidão e de personalidade mais convencionais. O squares permite identificar os candidatos mais íntegros e dotados de fortes princípios morais, assim como perceber se estes vão defender padrões éticos e até que ponto são vulneráveis a comportamento contraproducente.
 
A pesquisa demonstra que todos nós somos susceptíveis de ter comportamentos contraproducentes se formos colocados em situações de pressão ou ambíguas. No entanto, cada um de nós reage de forma diferente aos estímulos. A capacidade de um indivíduo resistir à tentação de se comportar de forma inadequada pode aumentar se o mesmo conhecer as suas próprias "situações críticas" ou as circunstâncias em que está mais vulnerável. Aumentar a consciência dessas situações pode ajudar os indivíduos a reflectir sobre o seu comportamento e a controlarem os seus impulsos.
 
Quão eficaz é o squares? Os estudos demonstram que o squares tem a mesma taxa de sucesso na previsão da propensão a comportamento contraproducente que uma entrevista estruturada para avaliar a confiabilidade, conduzida por um especialista e com a duração de 60 minutos. Isto é, o squares apresenta o mesmo rigor que uma entrevista, estruturada e em profundidade, dirigida por profissionais treinados. Assim, os resultados são idênticos, porém, o squares cumpre o objectivo de forma muito mais rápida, eficiente e económica.
 
Usado correctamente, o teste squares aumenta a probabilidade de recrutar indivíduos que agirão no melhor interesse da sua organização.

O que torna o teste de integridade squares tão especial?

Predizendo um comportamento contraprodutivo em contesto de trabalho é a nova forma de acrescentar valor à avaliação. Absentismo, fraude ou conduta perigosa causam prejuízos elevados. O squares é um novo teste de integridade online que, não só tem em consideração a pessoa, mas também a sua situação. Os itens descrevem o comportamento em vez de traços, o que permite realizar uma predição de comportamentos contraprodutivos sem estigmatizar os candidatos que obtém resultados baixos no questionário.

Características do squares

O squares já foi submetido a estudos de validação abrangentes, onde se inclui um aplicação online de grande escala com 335 participantes em que os resultados do processo de aplicação online foram comparados com entrevistas qualitativas. Ambos os processos confirmaram as boas propriedades psicométricas do questionário - na verdade os resultados foram tão bons, que recentemente submetemos um artigo relativo ao tema na Conferência de Psicologia Económica da Sociedade Psicológica Americana para o próximo ano.

Para aqueles que desejam realmente as características psicométricas que estão subjacentes ao squares...faça download das características do squares! E se porventura tiver alguma dúvida, entre em contacto connosco.

Leituras de Referência

Berry, C. M., Sackett, R. R. & Wiemann, S. (2007). A Review of Recent Developments in Integrity Test Research. Personnel Psychology, 60, 271–301.

Friedrich, C. (2003). Vertrauen als Unternehmensressource. In A. Martin (Hrsg.), Personal als Ressource (S. 119–139). München/Mering: Rainer Hampp Verlag.

Furnham, A., Hyde, G. & Trickey, G. (2013). Do your Dark Side Traits Fit? Dysfunctional Personalities in Different Work Sectors. Applied Psychology.Advance online publication. doi: 10.1111/apps.12002.

Gottfredson, M. R. & Hirschi, T. (1990). A General Theory of Crime. Stanford: Stanford University Press.

Hankes, J. (2011). Die inkrementelle Validität eines Integrity-Tests in Bezug auf Ausbildungserfolg – Kann ein Integrity-Test ein Interview ersetzen? [online].

Jordan, J. (2009). A social cognition framework for examining moral awareness in managers and academics. Journal of Business Ethics,84 (2), 237 – 258.

Kohlberg, L. (1974). Zur kognitiven Entwicklung des Kindes. Baden-Baden: Suhrkamp Verlag.

Marcus, B., Funke, U., & Schuler, H. (1997). Integrity Tests als spezielle Gruppe eignungsdiagnostischer Verfahren: Literaturüberblick und metaanalytische Befunde zur Konstruktvalidität. Zeitschrift für Arbeits- und Organisationspsychologie, 41, 2–11.

Marcus, B. (2000). Kontraproduktives Verhalten im Betrieb. Eine individuumsbezogene Perspektive. Göttingen: Verlag für Angewandte Psychologie.

Marcus, B. & Schuler, H. (2004). Antecedents of counterproductive behavior at work: A general perspective. Journal of Applied Psychology, 89, 647-660.

Marcus, B., Höft, S., & Riediger, M. (2006). Integrity Tests and the Five-Factor Model of Personality: A Review and Empirical Test of two Alternative Positions. International Journal of Selection and Assessment, 14 (2), 113–128.

Milgram, S. (1963). Behavioral Study of Obedience. Journal of Abnormal and Social Psychology, 67 (4), 371–378.

Mischel, W., Ebbesen, E. B., & Zeiss, A. R. (1972). Cognitive and attentional mechanisms in delay of gratification. Journal of Personality and Social Psychology, 21 (2), 204–218. 

Ones, D., Viswesvaran, C. & Schmidt, F. L. (1993). Meta-analysis of Integrity Tests Validities. Journal of Applied Psychology, 78, 679–693.

Ones, D. & Viswesvaran, C. (2001). Integrity Tests and Other Criterion-Focused Occupational Personality Scales (COPS) Used in Personnel Selection. International Journal of Selection and Assessment, 9 (1/2), 31–39.

Ones, D., Viswesvaran, C. & Schmidt, F. L. (2003). Personality and Absenteeism: a Meta-Analysis of Integrity Tests. European Journal of Personality, 17, 19–38.

Park, T. & Shaw, J. (2013). Turnover rates and organizational performance: A meta-analysis. Journal of Applied Psychology, 98 (2), 268-309.

Rest, J. R. (1979). Development in judging moral issues. Minneapolis: University of Minnesota Press.

Rezlescu, C., Duchaine, B., Olivola, C.Y. & Chater, N. (2012). Unfakeable Facial Configurations Affect Strategic Choices in Trust Games with or without Information about Past Behavior. PLoS ONE, 7 (3), e34293.

Schmidt, A. (2003). Sensation Seeking und delinquentes Verhalten. In M. Roth & P. Hammelstein (Hrsg.), Sensation Seeking – Konzeption Diagnostik und Anwendung (S.214-234). Göttingen: Hogrefe.

Todorov, A., Said, C.P., Engell, A.D. & Oosterhof, N.N. (2008). Understanding evaluation of faces on social dimensions. Trends in Cognitive Sciences, 12, 455–60.

U.S. Congress, Office of Technology Assessment (1990). The Use of Integrity Tests for Pre-Employment Screening. Washington, DC. pp. 1–78.

Wanek, J., Sackett, P. & Ones, D. (2003). Towards an Understanding of Integrity Test Similarities and Differences. Personnel Psychology, 56, 873–894.

Zimbardo, P (2007). The Lucifer Effect. New York: The Random House. 

 

Links:

http://en.wikipedia.org/wiki/Integrity

http://en.wikipedia.org/wiki/Counterproductive_work_behavior

http://en.wikipedia.org/wiki/Trustworthiness

pesquise-produtos

Pesquise entre mais de 40 testes psicométricos pelo teste mais adequado ao que pretende.
Search by
Topic
Instrument
Contacte-nos

Telefone +351 21 901 33 23

ou clique aqui

Subscreva a talentNews